17.4.08

post climático

Cidadezinha qualquer

Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.

Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.
Devagar... as janelas olham.

Eta vida besta, meu Deus.


Carlos Drummond de Andrade

4 comentários:

Maíla disse...

Drummond estava na minha cidade quando fez esse poema.

Denis Forigo disse...

tenho uma teoria melhor: ele estava na sua, foi para a minha, e continuou por todos os lugares onde morei... deve ter sido bem fácil fazer esse poema (que aliás, é de 1930, se não me engano).

aliás,
hoje a vida besta
é a vida besta ao avesso
da daquela do passado
mas ao mesmo tempo é ainda
em completo e resumida
a mesma vida besta

eta bestage! :)

Denis Forigo disse...

opa, tira o "da" do "da daquela" e o "aliás"... :O

Maíla disse...

Campinas deve ser bem menos besta que Maringá.